Mentiras sobre Francisco.

130Costumava dizer que se hoje o Willian Bonner falasse que a casa do seu vizinho esta pegando fogo, muitos sairia correndo sem nem se quer olhar para o lado para constatar a veracidade da noticia, isso se dá pela doutrinação cega do secularismo, condicionando a todos a pensar como eles bem entendem como certo e errado; Não é de hoje que vemos a igreja sendo atacada na mídia, tudo começou com a revolução Francesa com o anti-clericalismo e moral católica dos catedráticos e agora vemos um falso romance da mídia secular com a Igreja pelo carisma do Santo Padre, mas que não perde tempo para dar uma cutucada na doutrina secular da madre Igreja.

Mas entramos em uma questão que eu descreveria como desonestidade jornalística que se da no âmbito desesperado de tentar moldar o pensamento católico em um pensamento libertino, fazendo montagens e jogos de palavras com declarações do Papa Francisco como se ele desse o alvará pontifico para, por exemplo, casamento Homossexual, aborto e até contraceptivos, questões que ele já deu seu parecer quando indagado pela repórter sobre aborto e casamento Gay, ele disse: “A Igreja Já se expressou perfeitamente sobre isso”, afirmando assim que ele não romperá com nada que a moral católica já colocou como errado ou certo, ele veio para continuar na Tradição milenar e reafirmar a posição católica, e o repórter ainda insatisfeito com a resposta do Santo Padre ele questiona: “e a tua opinião?” e o Papa responde: “Sou Filho da Igreja”, confirmando que para frustração da mídia secular este Papa não rompera com sã doutrina.

Esta semana saiu em vários sites como G1, Folha de São Paulo, Veja, entre outros, que o Santo Padre teria dito que a Igreja deveria parar de falar de assuntos como segunda união, homossexualismo, aborto e etc, onde o que saiu na mídia com ênfase seria que o Papa teria dito: “Não podemos insistir apenas em assuntos relacionados ao aborto, ao casamento gay e ao uso de métodos contraceptivos. Isso não é possível” onde as suas palavras dele foi: Não podemos insistir somente sobre questões ligadas ao aborto, ao casamento homossexual e uso dos métodos contraceptivos. Isto não é possível. Eu não falei muito destas coisas e censuraram-me por isso. Mas quando se fala disto, é necessário falar num contexto. De resto, o parecer da Igreja é conhecido e eu sou filho da Igreja, mas não é necessário falar disso continuamente, (veja a entrevista na integra “clicando aqui”) veja que a publicação do Folha de São Paulo e afins, parou apenas na parte que lhe interessava, observa que o Papa apenas afirmou que estes assuntos deve ser tratado em um contexto e não jogado para o alto para ver no que vai dar, mas que se deve ter uma estratégia de evangelização com a Teologia Moral e não apenas acusações, um pouco antes na entrevista o papa alerta que a Igreja deve ser um lugar de misericórdia, dizendo até que o “confessionário não é uma sala de tortura, mais o lugar de encontrar a misericórdia divina” o Papa ainda afirma, novamente que o parecer da Igreja já é bem conhecido por todos afirmando assim que ele não mudará em nada estes conceitos e depois ele reintegra que sua opinião é a mesma da Igreja quando ele diz novamente “Sou filho da Igreja”.

O que eu vejo é a eminente estratégia sendo traçada, uma estratégia de aproximação destes homens e mulheres que se sentiram afastado da igreja por sua doutrina muitas vezes dura, e o Papa quer mostrar a face misericordiosa de Deus, falando “independente daquilo que você fez ou faz, Jesus te ama e a igreja também, e te oferece uma vida melhor do que esta levando hoje”, ou seja, uma estratégia de conversão; na verdade Papa Francisco não esta fazendo nada mais do que o Próprio Cristo fez, se aproximou do seus discípulos e os converteu; o Santo Padre deixa claro aquilo que ele acha certo, primeiro o amor, depois as leis, segue a linha do Beato João Paulo II que em sua encíclica “Veritatis Splendor” afirma o mesmo, primeiro deve se mostrar a face amorosa de Deus e depois apresentar suas exigências, se não se torna impraticável o catolicismo. Não vejo motivo para alarde, alguns sedevacantes já estão chamando o Santo Padre de anti-Papa, pegando profecias jogando ao ar, para justificar o Papa Francisco como o próprio anti-Cristo, me da náusea de ver filhos da Igreja fazer tais declarações putrefaz,  esquecem da promessa de Jesus que as portas do Inferno JAMAIS prevalecerá contra a Igreja Romana, agora decidam em quem acreditar; hoje a mídia faz papel de Pilatos, esta dividido entre soltar Barrabás ou Jesus, mas no fim sempre atende a multidão que a berros grita por Barrabás, e falam “crucifica-o”, nada muito diferente que fizeram com Papa Emérito Bento XVI.

Autor: Pedro Henrique Alves

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s