Monthly Archives: Janeiro 2014

Muita audiência e pouca inteligência.

33

Não é segredo á ninguém que a Globo hoje é a grande difusora da imoralidade. Basta assistir 5 minutos de novela, que você verá desde cenas de sexo quase que explícito até beijos gays. Mas o que mais me assusta, é o motivo de eu escrever este artigo, que é constatar a cegueira total que estes programas causam em nível de pensamento crítico e como são capazes de desviarem olhares de coisas realmente importantes.

34Recentemente começou o “reality show” mais assistido do Brasil, o famoso BBB (Big Brother Brasil). Desde o início percebemos que o pudor não faz parte dos critérios a serem seguidos neste programa, onde calcinhas e sungas são praticamente seus únicos vestuários, palavras de baixo calão e atitudes depravadas é o arroz com feijão. Mas uma coisa o Pedro Bial parece dizer com propriedade: o brasileiro não “resiste em dar uma espiadinha”. Sinto muito povo Brasileiro se seu divertimento está em assistir pessoas dentro de uma casa sustentadas por uma elite, vivendo em uma Sodoma e Gomorra moderna, e se você se diverte com isso, sinceramente deveria procurar assistência médica.

Os lares Cristãos que me perdoem mas, se vocês assistem tais baixarias e promovem nas mentes de suas crianças crescerem com tais aprendizados, o que farão mais tarde para ensiná-los o caminho do Senhor e suas exigências? Como pregará o evangelho e direcionará seu rebanho através da Bíblia? Sendo que na bíblia está a condenação para a depravação deste programa. Sinto vergonha. Enquanto na Suíça os adolescentes discutem o melhor sistema de governo aqui discutimos qual a melhor bunda da casa, ou quem deve sair ou ficar em um programa televisivo. Permita-me por um momento julgar, e se for pecado não se preocupe eu é quem pegarei por ele: se você consegue ficar atolado minutos, horas diante da TV para assistir Novela e ver BBB, você é o culpado. Isto mesmo! Você é o culpado por esta nação estar o lixo em que se encontra. Enquanto eles te dão brinquedinhos, o governo estuda mais uma maneir35a de enriquecer a custa de você operário que ganha 900 reais para cuidar dos seus filhos, para dar comida, roupa, moradia e dignidade, enquanto você é roubado mais um pouquinho só, ele te da um pouco de BBB copa do mundo. Ao invés de saber quais os candidatos da próxima eleição e saber as diferenças básicas de politicas governamentais, você vai dar aquela última espiadinha. E depois estará chorando na fila do INSS dizendo que o País está uma merda.

Enquanto te entretém com programas fétidos, o país continua a nadar nas fezes da imoralidade e da cegueira social. Sabe quando você era criança e te davam um brinquedinho ou uma chupeta para que você calasse a boca? Pois é. Hoje em dia te dão a televisão!

Autor: Pedro Henrique Alves

Revisora: Pâmela Hervatin

Para Citar: ALVES, Pedro Henrique, Muita audiência e pouca inteligência, acesse em: https://proecclesiacatholica.wordpress.com/2014/01/24/muita-audiencia-e-pouca-inteligencia/

Vaticano explica aonde pode se ter em fontes seguras os discursos Papais.

02VATICANO, 15 Jan. 14 / 02:31 pm (ACI/EWTN Noticias).- O Vaticano, através de sua conta do Facebook em língua espanhola News.va (https://www.facebook.com/news.va.es)  trouxe uma nota de esclarecimento de uma série de falsas declarações atribuídas ao Papa Francisco e que estão circulando na Internet nestes dias.

O texto (originalmente em espanhol) diz:

“Queridos amigos, muitos de nossos leitores nos assinalam uma ‘notícia’ que circula na internet e nos perguntam se é verdadeira. Esta ‘notícia’, publicada em vários idiomas, diz que o Papa Francisco afirmou que a Bíblia está antiquada em muitas passagens como a ‘fábula de Adão e Eva’ ou o inferno, que todas as religiões são iguais, que Deus está mudando e evoluindo e a verdade religiosa também, e outras coisas semelhantes. Tudo isto o Papa teria afirmado no ‘Terceiro concílio vaticano II’.

Pela internet circulam milhares de histórias falsas, e às vezes é difícil saber de onde se originou a ‘notícia’ e se esta vem de uma fonte confiável ou não. Por isso, ante uma notícia referente ao Papa Francisco que nos pareça estranha, é bom questionar-nos e ir às fontes vaticanas para ver se também ali estas notas aparecem e com que palavras são escritas.

Por isso no que se refere ao Papa Francisco, se as palavras a ele atribuídas não aparecem nos meios oficiais vaticanos, é muito possível que sejam falsas. Aqui lhes oferecemos uma lista dos meios vaticanos e seus sites na internet, para que possam ir comprovar as notícias sempre que tiverem dúvidas:

-Canal Twitter oficial do Santo Padre (em português): https://twitter.com/Pontifex_pt   

-Escritório de Imprensa da Santa Sé: http://www.vatican.va/news_services/press/index_po.htm

-News.va: Recolhe em um único site as notícias dos outros meios vaticanos (http://www.news.va/pt), e fanpage no facebook (https://www.facebook.com/news.va.pt?fref=ts)

-Site Web oficial da Santa Sé, onde se pode encontrar o íntegra oficial de todos os discursos, homilias, mensagens, etc. do Papa Francisco: http://www.vatican.va

-L’Osservatore Romano: Periódico da Santa Sé http://www.osservatoreromano.va/pt

-Rádio Vaticano: http://pt.radiovaticana.va/bra/index_n.asp

-Centro Televisivo Vaticano: http://www.ctv.va/content/ctv/it.html

-The Pope App: app para smartphones e tablets administrado por News.va, que pode ser descarregado gratuitamente em: http://www.news.va/thepopeapp/  e permite seguir em tempo real as intervenções do Papa e configurar alertas que avisam quando começam os eventos pontifícios.

Este também permite acessar todo o conteúdo oficial relacionado ao Papa em qualquer formato: notícias e discursos oficiais, galeria com suas últimas imagens e vídeos e acesso a sua agenda e links a outros serviços da Santa Sé. Além disso, a aplicação tem acesso às webcams distribuídas pela Praça de São Pedro, que transmitem imagens em todo momento.

-VIS (Vatican Information Service): http://www.vis.va

Uma saudação muita cordial a todos e muito obrigado por sua atenção e suas sugestões”, conclui a nota.

Fonte: acidigital.com

Um deus chamado humor.

31Não é de hoje que constatamos uma espécie de emburrecimento social ou de uma cultura do simplório.  É de fácil constatação que a juventude como um todo está se afastando do conhecimento básico social para se aproximar do divertimento midiático sem sentido; É algo tão óbvio que me sinto até desconfortável de escrever algo tão claro. Mas hoje eu escrevo não para falar do problema social que é a “cultura da distração”, mas sim para falar de um deus que se levanta em nosso meio, e se auto-proclama estar acima do bem e do mal, comédia brutal.

Não sou nenhum especialista em comédia ou humor, mas fiz meu dever de casa. Existe um tipo de “humor” conhecido por nós como vulgo “fritada” que aqui no Brasil foi amplamente divulgada pela Multishow da companhia Globo de televisão, sob o comando do comediante Diego Portugal. O formato no qual se desenvolve o programa é o seguinte: um convidado especial é chamado a participar deste programa, onde humoristas convidados tem um determinado tempo para fazer piadas vexatórias por vezes humilhantes com suas vidas, carreiras, e até famílias. São xingamentos gratuitos e ofensas verdadeiramente horrendas a um artista convidado em troca de risadas do público presente, e no final desta humilhante sessão bruta de comédia fétida, o convidado especial tem a chance de devolver na mesma moeda as “piadas” feitas contra ele (a). Um estilo de humor verdadeiramente bárbaro e sem sentido algum, e a não ser a humilhação moral do alvo em questão, o humor autêntico é o que não busca ofender nem mesmo humilhar ninguém. Este tipo de comédia teve origem no Estados Unidos nos anos 20, mas ganhou destaque nos anos 60 através da televisão e lá (EUA) é conhecido com ‘Roasted’.

Mas o foco deste artigo não está no “fritada” em si. Eu toquei nesse assunto para explicitar a origem e inspiração para o humor que está em crescente no Brasil nos últimos anos; Não se trata do humor sadio, mas sim no humor sádico e agressivo, onde não são respeitados valores morais ou religiosos. É claro que todos já situaram minha crítica no grupo “Porta dos Fundos”, mas na verdade não venho falar especificamente deles, e sim, uma gama nova de comediantes que estão utilizando esta forma brutal e ridícula de humor nesta década, onde o bullying se tornou um crime contra liberdade. Irônico não acha? O fato é que estes grupos de “comédia” estão há muito tempo extrapolando o aceitável sem que não haja punição real para os mesmos. É32 de conhecimento midiático os processos reais em que estes comediantes respondem. Meses atrás, foi amplamente divulgado o processo contra o Rafinha Bastos que na época trabalhava na Rede Bandeirantes por usar do termo “Comeria ela e o filho” ao se referir a cantora Wanessa Camargo; Pouco tempo atrás o comediante Danilo Gentili ao fazer uma piada com os trens que levavam os Judeus para o campo de concentração em comparação aos ônibus metropolitanos, acabou por ferir o sentimento religioso dos mesmos. Agora o mais conhecido grupo de humor da internet denominado “Porta dos fundos” fez um especial de comédia com gozações agressivas e de um fundo preconceituoso enorme contra a religião Cristã; basta procurar durante 5 minutos no youtube comédias no estilo Stand UP para ver os níveis baixos do humor brasileiro.

Não quero ser hipócrita e dizer que nunca extrapolei o nível do aceitável em alguma suposta piada feita por mim, mas o que este artigo quer trazer a tona são os direitos básicos de proteção moral que o Estado deve oferecer a todos os grupos e pessoas quanto os valores reais deles a serem defendidos. Estes valores estão sendo simplesmente mastigados e cuspidos, em troca de um bando de bobos da corte que tem a missão de entreter uma gama de pessoas. Se chegarmos a tal situação que para o humor não há limites, e que ofensas podem ser proferidas, basta que no final o comediante coloque em seu discurso um tom de humor e pronto, “está tudo bem em ofender, pois a ofensa é descaracteriza pelo fato de ter sido feita em tom de piada.” ”Ridículo”, não há racionalidade e nem sentido nesta forma de pensar tão menos respeito mútuo, quando se fere o sentimento moral, religioso ou particular. Qualquer pessoa se sentirá ofendida se seus diretos básicos de respeito forem violados, não importando ser piada ou não; Esta atitude deve ser punida rigorosamente. Devemos entender que críticas racionais construídas em bases intelectuais, não são provocações vis e sem sentido. O que buscamos com tais debates e provocações argumentativas são o conhecimento da verdade e o enriquecimento intelectual através do tema debatido. Mas além do divertimento violador de direitos e senso de ética, qual o sentido de uma ofensa transvestida de piada? Talvez ainda se ache um especial de comédia com o intuito de consciência social sem ofensas gratuitas, mas na sua grande maioria é uma troca de ofensas sem sentido.

Ao mesmo tempo não vejo que campanhas de censura através de abaixo assinado, ou de movimentações para queda de patrocínio seja o caminho, ainda que possa assustar não terá uma ação diretamente punitiva, pois sempre haverá um menos racional para assisti-los, e sempre haverá também uma empresa que cega em seu enriquecimento está também “pouco se lixando” para moral e ética. Temos de conscientizar a todos e mostrarmos o nível baixo e fútil dessas piadas. Criaremos um povo pronto para pensar e não para se divertir em meio ao chiqueiro humorístico que acima me refiro!

Estamos vendo o nascimento de um deus, intitulado humor, um deus inatingível não importando o que se fale, não importando os níveis baixos de educação e senso a qual eles se expõem, não importando os limites da moral, nem do respeito… Um deus covarde que se esconde atrás de suas ofensas/piadas para não demonstrar suas frustrações. Estamos criando um monstro social onde não haverá mais limite para dizermos o que será certo ou errado. Tudo será apenas uma forma de ver, não haverá enfim um ponto estático para nos assegurarmos enquanto o que pode ou não pode se dizer, voltaremos as cavernas enfim, vivendo por instintos um pouco mais empobrecidos. É um dos poucos casos que nem com o mau exemplo podemos tirar um aprendizado. Deste escárnio pobre, se tira apenas o desprezo.

Autor: Pedro Henrique Alves

Revisora: Pâmela Hervatin

Bibliografia:

http://www.jacarebanguela.com.br/2010/03/04/fritada/ Acesso: 15/01/2014 as: 13:00

http://multishow.globo.com/Fritada/ Acesso: 15/01/2014 as: 13:38

Para Citar: ALVES, Pedro Henrique, Um deus chamado humor, acesse em:https://proecclesiacatholica.wordpress.com/2014/01/15/um-deus-chamado-humor/

Por que dizer não à adoção de crianças por casais homossexuais?

26 Vivemos um dilema social que é o problema dos órfãos. E é bem verdade que este problema não é novo, mas podemos ver claramente o avanço cultural nesta área. Nos primórdios de nossa civilização não havia se quer uma assistência através do Estado, ou “órgãos públicos” por assim dizer, muitas vezes não funcionavam como deveriam as assistências básicas a estes esquecidos, ao passo que a adoção de uma criança ou adolescente órfão ficava na esfera da caridade religiosa e impulso pessoal. Com a evolução da sociedade, as questões sociais como a orfandade começou a se tornar um problema público, em que o Estado não só deveria interferir como ajudar as instituições caritativas, para dar uma dinâmica estrutural a este problema em busca de uma solução.

Para uma maior compreensão do artigo seguiremos a linha das minhas 4 linhas argumentações sendo que elas serão colocada em tópicos para maior visualização.

1-     Problema: Imposição cultural.

Hoje vemos que não curamos esta ferida social, mas avançamos. Porém não é difícil constatar que alguns grupos com a intenção de se consolidar, e estruturar suas opiniões usam de assuntos terminantemente sérios para se impor como solução. Isso se dá claramente na adoção de crianças por “casais” homossexuais. Não estou dizendo que estes casais tenham a intenção de impor seus dilemas sexuais aos outros, porém aqueles homossexuais militantes que estão por trás das leis de legalização das adoções por parte dos homossexuais, que assim se fazem de anjos guardiões que pouco estão se importando com estas crianças e sim, usando deste meio para conseguir se infiltrar na sociedade cristã a fim de satisfazer as organizações internacionais que pressionam o governo para uma nova moral mundial.

2-     Problema: Imposição homossexualidade como uma nova vertente sexual.

28Sabemos por estudos e principalmente pelo DR. Gerard Van denAardweg (Psicólogo PHD em Psicologia) que o homossexualismo não é genético, (para saber mais clique aqui) e sim da esfera comportamental ou traumática. Sendo assim o Dr. Gerard explica que a criança até atingir sua fase adulta de maturidade emocional, ela é totalmente influenciável e as condições de onde ela vive e com quem vive a influenciará a tomar para si suas características futuras na parte emocional, intelectual e sexual. Através dessa influência a militância gay vê a oportunidade de se consolidar na sociedade, fazendo das crianças presas fáceis e moldáveis para seus planos. Esta mesma estratégia é utilizada por exemplo através da cartilha Gay. Não estou aqui colocando um ponto final sobre a sincera vontade de um ou dois homossexuais de ajudar sinceramente uma criança órfã, mas sim explicitar que uma criação de uma criança por um casal homossexual não é benéfica e sim traumática para a criança que se verá em um ambiente que lhe trará confusão e questionamentos sobre si e sua sexualidade, questões que não são abertas a interpretações ou argumentações, como se houvesse uma escolha a qual sexo seguir, sendo sexo é uma característica inerente a vontade e não está no âmbito da faculdade de escolha. Todos nós se nos colocarmos nus em frente a um espelho veremos que temos o órgão sexual feminino ou masculino, temos útero e vagina ou pênis e testículos (independentemente de cirurgias), e não que alguém esteja impedido de escolher ser hétero ou não, pois isso é uma escolha que esta no campo ideológico, afinal isso é a liberdade de escolha, porém, não se pode igualizar a heterossexualidade com a homossexualidade como se ambas fossem biológica e geneticamente comprovada ser inerente ao ser humano; não há como apresentar o homossexual como um 3º sexo, e sim uma opção de vida e não um gênero sexual.

3-     Problema: Traumas psicológicos.

27Por mais que haja boa vontade, não podemos justificar uma caridade e passar por cima da moral e da ética. Os traumas psicológicos já podem ser vistos na sociedade como tal, se como o DR Gerard explica que o homossexual não é assim por natureza e tem a seu apoio estudos que comprovam suas afirmações, só podemos concluir que a homossexualidade esta no âmbito psicológico, constatamos isso ao vermos crianças confusas quanto sua sexualidade por ver nas escolas e na sociedade como geral uma difusão do “gayzismo” como uma vertente da sexualidade, as modas de roupas, estilos musicas, filme e novelas estão levando cada vez mais as casas das pessoas um homem feminino e uma mulher masculina ou a depravação moral em ambos os sentidos de vestes, conceitos estes totalmente confusos que na cabeça de uma criança causa grande tempestade de ideias imaturas quanto a si mesma. Não estou dizendo que necessariamente todas as crianças que fossem criadas por homossexuais seriam também homossexuais, mas sim que lhes trariam muitas dificuldades no desenvolvimento emocional. Dawn Stefanowicz que teve criação por parte de um pai homossexual descreve hoje através de seu livro os traumas decorrentes dessa criação que dificultou sua vida como um todo, e hoje após muitos anos ela faz palestras e luta contra a adoção de crianças por casais gays. Ela diz não como estudiosa ou psicóloga, mas sim como alguém que viveu este problema. Ao falar de seu passado ela diz: “foi complicado e traumático”, depois da morte do pai pela AIDS ela classifica sua criação por um pai gay como: “uma terrível experiência”. (clique aqui para ler a matéria inteira sobre a vida de DawnStefanowicz)

4-     Problema: Política fútil.

Como então sanar este problema? O problema não está relacionado à falta de casais para adotar crianças órfãs, mas sim na desigualdade social e no preparo de nossas crianças e adolescentes para viver uma vida sexual responsável, quanto mais pobreza, e falta de preparo na educação mais o número de órfãos tende a aumentar. Enquanto apresentarem a camisinha como o deus da prevenção ao invés da castidade, haverá crianças nascendo em lares desestruturados ou em mães totalmente alheias as responsabilidades maternais. No Brasil a lei mais apreciada é a lei do tapa buraco; a solução para os problemas são visíveis mas custa muita sinceridade 26e esforço para realizá-las. Por isso usam de alternativas para tentar sanar os problemas que facilmente encontrariam solução se o óbvio fosse executado, é o famoso “tapar o sol com a peneira” deixado de lado. Enquanto houver interesses de grupos minoritários sendo colocados acima dos interesses do Povo, aquela parte da constituição que diz “Todo poder emana do povo” é apenas uma grande “tertúlia flácida para dormitar bovino”. O povo brasileiro em sua maioria é terminantemente Cristão e contra a adoção de crianças por parte de homossexuais, ou será que irão negar isto também?

Autor: Pedro Henrique Alves

Revisora: Pâmela Hervatin

Bibliofrafia:

http://www.acidigital.com/noticia.php?id=24604

AARDWEG, Gerard Van den, titulo: Homossexualidade e esperança, Editora: Diel

Para citar: ALVES, Pedro Henrique, Por que dizer não a adoção de crianças por casais homossexuais? acesse: https://proecclesiacatholica.wordpress.com/2014/01/09/por-que-dizer-…s-homossexuais/

Fariseus do Catolicismo

“Amarram fardos pesados e os põem sobre os ombros dos homens mas eles mesmos nem com um só dedo  se dispõem a move-los” Mateus 23, 4

24Inicio meu ano de 2014 vivendo o mesmo dilema no qual terminei 2013: os fariseus do novo tempo. Sinto-me indagado a falar deste assunto que não vejo nenhum blogueiro realmente abordar, que é a hipocrisia que está a contaminar o meio católico. E por que escrevo isso? Por vários motivos. Há uns meses atrás eu escrevi como eu estava feliz em ver a crescente da tradição católica, e por ela estar “contaminando” os católicos jovens, e quanto o respeito pelo sagrado esta sendo prioridade em um país dominado pela Teologia da Libertação, isso é de muita valia. Mas o que realmente me deixa hoje muito estupefato é o fato de que a tradição virou arma de acusação e de afastamento por parte de alguns; A tradição que deveria trazer a contemplação e acolhida, está se transformando em um poder inquisitório para os próprios católicos. A fé católica para muitos já não é a vivência do Cristo vivo e ressuscitado, nem a convivência fraternal e alegre entre os católicos, mas sim um atirar pedras. Se não usa véu vai para o inferno, se não usa saia vai para o inferno, se não é a missa antiga a missa não é válida. Ora estamos vivendo um catolicismo de bula, onde a salvação se esconde nas regras e não na pessoa de Jesus Cristo. Em Romano capítulo 3, Paulo faz uma catequese explicando que Jesus veio para dar a salvação para Gregos e Judeus, mas que a salvação não estava na lei e sim na fé em Jesus Cristo.

Tenhamos o cuidado para não privatizarmos a salvação apenas para um grupo de católicos como se Deus estivesse mais atento as normas de vestes e litúrgicas do que para uma alma convertida. Tenhamos também em mente que, para uma pessoa recém convertida ou pouco evangelizada, esta não conseguirá muitas vezes entender os preceitos que a boa conduta demanda, e eu não estou aqui para desmerecer o uso do véu e nem da liturgia bem celebrada, pelo contrário: eu prego isso também, mas saibamos de quem cobrar isso. Simplesmente não dá para enfiarmos goela-abaixo preceitos e normas, se a pessoa ainda nem entende o que é Eucaristia e nem sabe ainda se optou verdadeiramente por Jesus. A conduta de modéstia e cumprimento dos preceitos conservadores deve ser uma atitude verdadeira, íntima e espiritual de cada um, afinal até uma prostituta pode usar um véu e saia longa, mas nunca uma alma convertida EFETIVAMENTE se colocará em uma roupa de prostituta. As regras devem ser a cereja do bolo, a parte da santificação e busca das virtudes da perfeição, mas a primeiro momento não podemos cobrar isso de alguém que mal sabe rezar o credo.

25Tenhamos cuidado de ao invés de apresentar Jesus misericordioso e salvador, não apresentemos preceitos e regras, e saibamos que o caminho a verdade e a Vida está em Jesus, e a primeiro momento ao recém convertido, a ele basta saber disso, e depois vai se desenrolando as regras e condutas a serem seguidas por uma alma convertida. Talvez no passado não fosse assim, pois a sociedade ainda guardava em seu seio um pouco de pudor da vestimenta, temor a Deus e o respeito a Igreja, mas hoje lidamos com um mundo secularizado e amoral, onde roupas curtas e decotes exorbitantes é supostamente normal. Então se não houver uma conversão de espírito e do entendimento do que é moral ou não, tão pouco a modéstia fará sentido para este mundo. Um catolicismo que sufoca não se torna um catolicismo salvador e sim, opressor. Se não conseguirmos nos dirigir a Deus com tranquilidade de que ele nos ouça por que estou me vestindo assim ou assado, tão pouco vamos rezar verdadeiramente, tão pouco haverá convertidos ao catolicismo se o ato de ser católico é estar em uma estufa sufocante de normas e regras. Para os convertidos, estas normas não são peso já que a esses fazem com um sentido de uma privação disciplinadora que santifica o homem e o traz para próximo de Deus, mas para os recém chegados, isto se torna uma sufocante agonia.

Ao final de tudo se resume que devemos apresentar a todos aquele que alivia o fardo e não aquele que coloca o fardo.

Autor: Pedro Henrique Alves

Revisora: Pâmela Hervatin

Para citar: ALVES, Pedro Henrique, Fariseus do Catolicismo, acesse: https://proecclesiacatholica.wordpress.com/2014/01/06/fariseus-do-catolicismo