Monthly Archives: Junho 2014

O Papa não é comunista, chorem corja de TL’s

“Eu digo que os comunistas têm roubado a bandeira. A bandeira dos pobres é cristão.” (fonte: Il Messaggero)

Isto foi dito pelo Sumo pontífice Bento XVI? Papa Pio XII? Papa Paulo VI? Não queridos “irmãos e queridas irmãs”, isto foi dito pelo Papa Francisco, aquele que aprovaria a Teologia da Libertação, e que apoia o sistema econômico comunista, aquele Papa que “romperia com a fé romana”.

Neste final de semana fui agraciado com uma entrevista, do Santo Padre ao Jornal Italiano “Il Messaggero”, no qual foram abordados vários assuntos mas principalmente política e corrupção (ver entrevista completa em Italiano).

Porém o que mais chamou atenção dos holofotes mundiais foi a crítica ao comunismo, uma crítica de certa forma pesada. Mas o que tanto assusta nesta crítica? É o fato de muitos acharem que o Papa Francisco era simpatizante da ideologia comunista, isto se deu desde o inicio de seu pontificado, onde seu jeito simples, e sua preocupação central com os pobres fizeram os comunistas, e o teólogos da libertação (que também são comunistas) quase terem um orgasmo, acreditando eles terem furado a grande muralha feita por Papa Pio XII que com seu decreto “Acta Apostolicae Sedis. De Roma, dia 1 de Julho de 1949” excomungava todos os comunistas e aliados de partidos comunistas, ou a teologia apologética de Papa Bento XVI que fechou as portas para a Teologia da Libertação com o documento expedido pela Sagrada congregação da Doutrina da Fé (instrução sobre alguns aspectos da teologia da libertação) de 1984.

O Papa Francisco sempre em sua teologia teve um especial zelo pelas ações pastorais, e a centralidade do evangelho nos pobres, mas ao contrário do que todos pensam, não se faz uma teologia dos pobres, somente com a teologia da libertação, muito pelo contrário, os trabalhos caritativos, e a preocupação com os pobres existem muito antes de Boff e sua “renca”. Afinal, Santo Antônio, São Francisco de Assis, ou Madre Teresa não leram: “Igreja, carisma e poder” para ajudarem os pobres, e nem cismaram com Roma atrás de um orgulho de si próprio. Bergoglio sempre esteve apoiado sobre a “Doutrina social da Igreja” desde quando era Padre em Buenos Aires, tanto que nas entrevista cedidas aqui no Brasil, por ocasião da JMJ sempre citou esta mesma “Doutrina Social da Igreja”, e nunca agiu com ato de aceitação do marxismo; em entrevista cedida ao “La stampa” Papa Francisco responde as críticas de sua carta apostólica “Evangelii Gaudium” teria sido de profundo teor marxista e em resposta ao jornal, ele afirmou : “que nada há na sua Exortação Evagelii Gaudium que não esteja conforme à Doutrina Social da Igreja.” Ou seja, de acordo com a doutrina Romana. (fonte: La Stampa)

O que eu vejo sinceramente é um grande achar pelos em ovos, o Papa não só não é marxista como a considera “uma ideologia errada”, (fonte: acidigital) o que vimos nesta sua ultima entrevista a II Messaggero, foi sua indignação, de que sempre que se fala em pobre se faz uma ligação ao Comunismo, ou ao marxismo, como se esta luta fossem deles e não da Igreja, sobre isto o Papa afirma com veemência:

“Eu digo que os comunistas têm roubado a bandeira. A bandeira dos pobres é cristão. A pobreza é o coração do Evangelho. Os pobres são o coração do Evangelho. Tome Mateus 25, o protocolo através do qual seremos julgados: eu estava com fome, eu estava com sede, eu estava na prisão, eu estava doente, nu. Ou olhe para as bem-aventuranças… Os comunistas dizem que esta é uma bandeira comunista. Sim, certo, vinte séculos depois. (risos)” (fonte: II Messaggero. Traduções minhas).

O Santo Padre, diz de uma forma discreta: “sou cristão, pois é de Cristo que vem o mandamento de cuidar dos desamparados e não de Marx”.

Francisco mostra que não só não é comunista, mas que não concorda com esta abordagem, levantar uma bandeira para os pobres, e outra para a guerra de classes não é, e nunca poderá ser Cristão. O Papa é Católico, e não rompera com a Fé Romana, se conformem com isso! Em uma entrevista no Roda Viva Leonardo Boff se mostrava entusiasmado com o Papa Francisco, como se ele fosse realmente abrir as portas de Roma para sua teologia marxista; só uma coisinha Boff, senta e chora nego.

Autor: Pedro Hemrique Alves

Para citar: ALVES, Pedro Henrique. O Papa não é comunista, chorem corja de TL’s, (acesso em: colocar data de acesso) <https://proecclesiacatholica.wordpress.com/2014/06/30/o-papa-nao-e-comunista-chorem-corja-de-tls/>

Anúncios

União dos Juristas Católicos de São Paulo adverte: ‘Teremos surpresas após as eleições’

Imagem
A União dos Juristas Católicos de São Paulo (UJUCASP) prevê que após as eleições, na eventualidade da reeleição da presidente Dilma Rousseff, os brasileiros serão surpreendidos com uma nova portaria do Ministério da Saúde regulamentando o aborto nos hospitais conveniados com o SUS.

A advertência foi realizada durante a reunião ordinária da entidade, que ocorreu na manhã de segunda-feira, 9.

Segundo o Dr. Ives Gandra Martins, presidente da entidade católica que atualmente reúne 80 sócios entre desembargadores, juízes e advogados, “não devemos nos iludir com a revogação da portaria 415 por parte do Governo Federal, que pressionado pela má repercussão política da medida, atuou em modo de evitar desgaste político eleitoral”.

Existem atualmente em trâmite no Congresso Legislativo cerca de seis diferentes projetos de lei que visam regulamentar a matéria do aborto no Brasil. Em parte, o efeito político negativo se deu porque a Portaria 415 do Ministério da Saúde foi baixada a revelia do debate que ocorre no Legislativo. “Na eventualidade de ser veiculada nova portaria após as eleições, os projetos em tramitação no Congresso Nacional simplesmente perderão relevância em face do fato consumado, sem passar pelo necessário debate público”, explicou o jurista.

Escolas e hospitais católicos correm risco de extermínio

Outro tema que foi levantado durante o encontro foi os efeitos do Decreto 8.242, da presidente Dilma Rousseff, sobre as escolas, universidades, hospitais e demais instituições privadas não lucrativas, e que, pelo seu caráter assistencial, gozam do direito constitucional de imunidade de taxas e impostos, tais como IPTU, IPI, ICMS e Imposto de Renda.

Segundo os juristas, o decreto presidencial dificulta a aplicação destes direitos constitucionais, colocando em risco a existência dessas instituições que, sem essas imunidades tributárias, não conseguem sobreviver. O resultado final é o prejuízo do bem-estar social da população carente, maior beneficiária dos serviços prestados por essas instituições que atuam, sobretudo, nos setores da educação e da saúde.

Segundo o Dr. Sergio Arcury, ex-presidente da Ação Paulista de Estabelecimentos de Ensino Médio, cerca de 6 mil instituições de ensino tiveram que fechar as suas portas, nos últimos anos, em todo o Brasil.

Além disso, quase todas as Santas Casas atualmente sobrevivem subsidiadas pelos Governos Estaduais, já que o Governo Federal há 19 anos não atualiza os valores pagos pelo SUS pelos procedimentos realizados nos hospitais conveniados. Significa dizer que as Santas Casas de Misericórdia recebem hoje, por qualquer cirurgia que realizam, o mesmo valor que recebiam há duas décadas.

Na visão dos juristas, O decreto 8.242 também atenta contra a democracia, já que substitui o Congresso Nacional na edição de lei complementar para definir os limites do gozo das imunidades tributárias. (MR)

Fonte: Arquidiocese de São Paulo

Créditos:
Padre Michelino Roberto/ Redação com o jornal O São Paulo – Edição 3006 – 10 a 16 de junho de 2014

Hospital do Vaticano faz descoberta Inigualável. “Igreja contra Ciência? ‘aham’ Senta lá Claudia!” Opinião do filosofo Pedro Henrique

BAMBINO GESU', INAUGURATO NUOVO CENTRO OSPEDALE A SAN PAOLO - FOTO 7Não é raro ouvir que a Igreja é contrária a evolução científica, ou que ela é retrógrada, ou até que, a igreja engoliu a evolução da ciência, e blá blá blá… Mas uma notícia divulgada está semana nas penumbras quase que clandestinas da informação, nos dá o dado que o hospital do Vaticano “Bambino Gesù” (“Menino Jesus”), (que é um dos centros de estudos mais evoluídos na medicina) fez uma descoberta surpreendente, e que irá mudar a face do tratamento de células-tronco.

Mas antes de adentrar nos pormenores desta notícia, vou explicar por que usei da expressão “penumbras quase que clandestinas da informação”, usei desta expressão pois,  nos meios formais de jornalismo só encontrei dois sites com esta informação, sendo que uma delas tem ligação com a Igreja, e outro não, são estas as fontes desta noticia: “Aleteia“, e  o “CorreioMS” (até o fim deste artigo não haviam outros meios de jornalismo formal que deram esta notícia).

Voltando ao que interessa, o hospital do Vaticano através do professor Bruno Dallapiccola, diretor científico do hospital da Santa Sé, informou que ele e sua equipe tinham feito uma descoberta pioneira no campo de pesquisa de células-tronco, segundo o professor, esta descoberta permite a manipulação das células troncos para que o pai ou a mãe possa doar medula óssea a pessoa necessitada sem que seja necessário uma espera de uma medula compatível, WCENTER 0JGFCFUEND imgtoiati250506201859_4 Francesco Toiatiesta descoberta é maravilhosa, no que concerne a sua praticidade salvífica; hoje milhares de pessoas morrem de Leucemia, na espera de um doador compatível, e com esta descoberta as chances desta compatibilidade acontecer são enormes. Estes dados sobre a leucemia foram apresentadas em New Orleans, durante o congresso da Sociedade Americana de Hematologia(ASH) no mês de dezembro. (fonte: Aleteia)

Mas não somente no caso de leucemia esta descoberta irá ser aproveitada, mas também no caso de outras doenças como, imunodeficiência muito comum em crianças, doenças genéticas, leucemia e tumores no sangue (fonte: Aleteia). Enquanto muitos laboratórios estão desfrutando do oásis pernicioso dos estudos com células embrionárias, o Vaticano está mostrando serviço, está mostrando que é possível evolução sem degradação da moral, ou valores, e para os críticos que se conformam com discursinhos ateus, do tipo: “A igreja atrasou a evolução científica, ou a igreja é contrária a ciência” o que dirão 88agora? Que a descoberta foi uma acaso, do tipo do acaso que eles dão como explicação da origem universo? Mas uma vez a sociedade ateia tem de se calar perante a grandeza da Igreja, ao contrário USP,  Harvard entre outras, universidades que esbanjam suas descobertas, ou hospitais de pesquisas que mensalmente se mostra como pavões, o Vaticano trabalha calado, sem holofotes ou badalações, mas quando se manifesta, se manifesta para ajudar a humanidade, e não para balbuciar teorias (não desmerecendo as descobertas feitas por outros centros de estudos.).

Esta descoberta foi vinculada a revista científica “Blood” uma das mais 90conceituadas neste assunto, dos 23 pacientes em que esta técnica foi empregada ouve uma porcentagem de cura de 90%, ou seja, é de fato um caminho para cura de doenças que até pouco tempo atrás eram incuráveis.
Parabéns Vaticano, parabéns a todos profissionais do Hospital “Bambino Gesù” ao professor Bruno Dallapiccola, diretor desta pesquisa, que assim como a Igreja sempre fez, salvará mais vidas. Me desculpe pelo meus modos, mas chupem essa sociedade!

Autor: Pedro Henrique Alves

Para citar: ALVES, Pedro Henrique. Hospital do Vaticano faz descoberta pioneira com células-tronco, acesso: (colocar data de acesso). <https://proecclesiacatholica.wordpress.com/2014/06/25/hospital-do-vaticano-faz-descoberta-inigualavel/&gt;

Hospital do Vaticano faz descoberta pioneira com células-tronco

 

 

Imagem

 

A descoberta científica do hospital do Vaticano promete salvar a vida de milhões de crianças no mundo inteiro. A notícia foi divulgada pelo hospital pediátrico da Santa Sé, “Bambino Gesù” (“Menino Jesus”), com sede em Roma. Segundo a direção do hospital, os resultados foram apresentados à revista científica internacional “Blood”, e poderiam ser “um marco na cura de muitas doenças no sangue”.

O hospital anunciou, em uma coletiva de imprensa, que a manipulação decélulas-tronco, em ausência de um doador compatível, permite otransplante de um pai ou mãe ao seu filho. A descoberta é importante para curar crianças com problemas de imunodeficiência, doenças genéticas, leucemia e tumores no sangue.

“Estamos orgulhosos de apresentar este sucesso dos pesquisadores do Hospital ‘Bambino Gesù’, conscientes de que o protocolo dos nossos laboratórios é um marco na terapia de muitas doenças no sangue”, confirmou o professor Bruno Dallapiccola, diretor científico do hospital da Santa Sé.

Para a aplicação no campo da leucemia, a técnica aplicada pela equipe do professor Franco Locatelli, responsável pela Onco-hematologia e Medicina Transfusional do hospital, foi apresentada no último mês de dezembro em New Orleans, durante o congresso da Sociedade Americana de Hematologia (ASH).

transplante de células-tronco adultas é uma cura que salva a vida de milhões de crianças que sofrem tumores do sangue, bem como de crianças que nascem sem as adequadas defesas do sistema imunológico. Por muitos anos, o único doador que se podia ter era um irmão ou irmã do paciente. O problema é que dois irmãos são idênticos somente em 25% dos casos.

Diante da impossibilidade de ter doadores na família, existem bancos de dados internacionais com 20 milhões de doadores voluntários de medula óssea. Mesmo assim os bancos de sangue para estes casos dão disponibilidade de apenas 600 mil unidades no mundo.

O problema se agrava quando 30 ou 40% dos pacientes não encontram um doador compatível, além do mais, considerando o tempo de seleção de um doador e a conclusão de todos os exames para identificar outro doador fora da família.

A técnica do hospital da Santa Sé foi aplicada em 23 pequenos pacientes. Os resultados, segundo afirmou a instituição, demonstram que a probabilidade de cura definitiva para estas crianças doentes é de 90%, ou seja, igual à técnica que emprega a medula de um irmão do paciente completamente compatível geneticamente.

A descoberta da manipulação das células-tronco é uma esperança para milhões de crianças que podem ser salvas com um transplante de medula. É possível salvar crianças na Ásia, África ou América do Sul, que não têm “representantes” nos registros de doadores de medula óssea e que, por meio desta técnica, poderão finalmente ter acesso a um transplante de maneira rápida e “virtualmente aplicável a todos os casos”.

Via: aleteia

Papa na Coreia em agosto. Que país ele vai encontrar?

Imagem

Seul (RV) – Aproxima-se a data da viagem do Papa à Coréia do Sul e a expectativa aumenta. O Pontífice partirá no dia 13 de agosto, para participar da sexta Jornada da Juventude Asiática. Dentre os eventos mais aguardados, está a missa pela paz e a reconciliação entre as duas Coreias.

Uma faixa de terra de 4 km de largura ao longo do 38º paralelo divide as duas Coréias. Desmilitarizada, a área foi criada com a assinatura do armistício de 1953 e ainda hoje representa uma ferida aberta: um muro que amplia as diversidades e transforma o irmão em inimigo.

O entusiasmo dos coreanos com a visita de Francisco é palpável e a RV entrevistou o

Professor

Antonio Fiori, que ensina Política e Instituições da Corea na Universidade de Bolonha, para saber porquê.

Porque a sociedade, a religiosidade dos coreanos mudou muito na última década. O país está certamente muito alegre e sente a responsabilidade de ter sido escolhido como o primeiro asiático a ser visto pelo Papa. Creio que esta visita possa ser a ocasião para reafirmar a inutilidade da divisão que a península ainda vive, em 2014. Poderá ser uma “ponte” para reduzir as diferenças existentes entre os dois países”.

Para Professor Thomas Hong-Soon Han, membro do Pontifício Conselho para os Leigos desde 1984 e embaixador da Coréia na Santa Sé de 2010 a 2013, “a Ásia tem sede de justiça e de paz, pois apesar de um significativo crescimento econômico, persiste o clamoso escândalo de várias formas de pobreza e violação de direitos humanos”.

Entrevistado pela agência Aleteia, o professor aponta que a região é uma das mais armadas do mundo e um dos países mais poluidores. “Neste contexto, é mais necessário do que nunca que os católicos asiáticos testemunhem a doutrina social suas obras. Tal testemunho fará a Igreja ser mais crível na Ásia e corrigirá a impressão, errada, de que o catolicismo é uma religião estrangeira”.

O Papa virá antes de tudo como um missionário, para transmitir a alegria do Evangelho aos povos asiáticos, principalmente aos jovens. Virá para preparar com Deus ‘uma grande primavera cristã’ do terceiro milênio na Ásia, onde os católicos são uma pequena maioria de 140 milhões, ou seja, 3,3% em 4 bilhões e 200 milhões e meio de pessoas”.

Francisco tem um impacto muito eficaz nos coreanos. Depois de vê-lo viver na simplicidade e humildade, praticar a caridade e o amor pelos pobres e doentes, muitos coreanos estão se aproximando da fé e se batizando. Com a visita, pode-se esperar um aumento no ritmo de crescimento da Igreja, uma mudança significativa no estilo de vida da Igreja e da sociedade, e a promoção da cultura do amor na Península coreana”.

Texto proveniente do site da Rádio Vaticano.

Padre converte uma cidade inteira pela sua batina!

86

Levar a Deus todas as almas que seja possível”. O padre Michel Marie Zanotti Sorkine tomou esta frase a sério, e é o seu principal o objetivo como sacerdote.

É o que está a fazer depois de ter transformado uma igreja a ponto de fechar e de ser demolida na paróquia com mais vida de Marselha. O mérito é ainda maior dado que o templo está no bairro com uma enorme presença de muçulmanos numa cidade em que menos de 1% da população é católica praticante.

Foi um músico de sucessoA chave para este sacerdote que antes foi músico de êxito em cabarés de Paris e Montecarlo é a “presença”, tornar Deus presente no mundo de hoje. As portas da sua igreja estão abertas de par em par o dia inteiro e veste de batina porque “todos, cristãos ou não, têm direito a ver um sacerdote fora da igreja”.
Na Missa: de 50 a 700 assistentesO balanço é impressionante. Quando em 2004 chegou à paróquia de S. Vicente de Paulo no centro de Marselha a igreja estava fechada durante a semana e a única missa dominical era celebrada na cripta para apenas 50 pessoas. Segundo o que conta, a primeira coisa que fez foi abrir a igreja todos os dias e celebrar no altar-mor. Agora a igreja fica aberta quase todo o dia e é preciso ir buscar cadeiras para receber todos os fiéis. Mais de 700 todos os domingos, e mais ainda nas grandes festas. Converteu-se num fenômeno de massas não só em Marselha mas em toda a França, com reportagens nos meios de comunicação de todo o país, atraídos pela quantidade de conversões.
Um novo “Cura de Ars” numa Marselha agnóstica
Uma das iniciativas principais do padre Zanotti Sorkine para revitalizar a fé da paróquia e conseguir a afluência de pessoas de todas as idades e condições sociais é a confissão. Antes da abertura do templo às 8h00 da manhã já há gente à espera à porta para poder receber este sacramento ou para pedir conselho a este sacerdote francês.

Os fregueses contam que o padre Michel Marie está boa parte do dia no confessionário, muitas vezes até depois das onze da noite. E se não está lá, anda pelos corredores ou na sacristia consciente da necessidade de que os padres estejam sempre visíveis e próximos, para ir em ajuda de todo aquele que precisa.

A igreja sempre abertaOutra das suas originalidades mais características é a ter a igreja permanentemente aberta. Isto gerou críticas de outros padres da diocese mas ele assegura que a missão da paróquia é “permitir e facilitar o encontro do homem com Deus” e o padre não pode ser um obstáculo para que isso aconteça.

O templo deve favorecer a relação com DeusNuma entrevista a uma televisão disse estar convencido de que “se hoje em dia a igreja não está aberta é porque de certa maneira não temos nada a propor, que tudo o que oferecemos já acabou. No nosso caso em que a igreja está aberta todo o dia, há gente que vem, praticamente nunca tivemos roubos, há gente que reza e garanto que a85 igreja se transforma em instrumento extraordinário que favorece o encontro entre a alma e Deus”.

Foi a última oportunidade para salvar a paróquiaO bispo mandou-o para esta paróquia como último recurso para a salvar, e fê-lo de modo literal quando lhe disse que abrisse as portas. “Há cinco portas sempre abertas e todo o mundo pode ver a beleza da casa de Deus“. 90.000 carros e milhares de transeuntes passam e vêem a igreja aberta e com os padres à vista. Este é o seu método: a presença de Deus e da sua gente no mundo secularizado.

A importância da liturgia e da limpezaE aqui está outro ponto chave para este sacerdote. Assim que tomou posse, com a ajuda de um grupo de leigos renovou a paróquia, limpou-a e deixou-a resplandecente. Para ele este é outro motivo que levou as pessoas a voltarem à igreja: “Como é podemos querer que as pessoas acreditem que Cristo vive num lugar se esse lugar não estiver impecável? É impossível.”
Por isso, as toalhas do altar e do sacrário têm um branco imaculado. “É o pormenor que faz a diferença. Com o trabalho bem feito damos conta do amor que manifestamos às pessoas e às coisas”. De maneira taxativa assegura: ”Estou convicto que quando se entra numa igreja onde não está tudo impecável, é impossível acreditar na presença gloriosa de Jesus”.
A liturgia torna-se o ponto central do seu ministério e muitas pessoas sentiram-se atraídas a esta igreja pela riqueza da Eucaristia. “Esta é a beleza que conduz a Deus“, afirma.
As missas estão sempre cheias e incluem procissões solenes, incenso, cânticos bem cantados… Tudo ao detalhe. “Tenho um cuidado especial com a celebração da Missa para mostrar o significado do sacrifício eucarístico e a realidade da sua Presença”. “A vida espiritual não é concebível sem a adoração do Santíssimo Sacramento e sem um ardente amor a Maria”, por isso introduziu a adoração e o terço diário, rezado por estudantes e jovens.
Os sermões são também muito aguardados e, inclusive, os paroquianos põem-nos online. Há sempre uma referência à conversão, para a salvação do homem. Na sua opinião, a falta desta mensagem na Igreja de hoje “é talvez uma das principais causas de indiferença religiosa que vivemos no mundo contemporâneo”. Acima de tudo clareza na mensagem evangélica. Por isso previne quanto à frase tão gasta de que “vamos todos para o céu”. Para ele esta é uma “música que nos pode enganar”, pois é preciso lutar, a começar pelo padre, para chegar até ao Paraíso.
O padre da batina

Se alguma coisa distingue este sacerdote alto num bairro de maioria muçulmana é a batina, que veste sempre, e o terço nas mãos. Para ele é primordial que o padre ser descoberto pelas pessoas. “Todos os homens, a começar por aquela pessoa que entra numa igreja, tem direito de se encontrar com um sacerdote. O serviço que oferecemos é tão essencial para a salvação que o ver-nos deve ser tangível e eficaz para permitir esse encontro”.

Deste modo, para o padre Michel o sacerdote é sacerdote 24 horas por dia. “O serviço deve ser permanente. Que pensaríamos de um marido que a caminho do escritório de manhã tirasse a aliança?”.

84Neste aspecto é muito insistente: “Quanto àqueles que dizem que o traje cria uma distância, é porque não conhecem o coração dos pobres para quem o que se vê diz mais do que o que se diz”.

Por último, lembra um pormenor relevante. Os regimes comunistas a primeira coisa que faziam era eliminar o traje eclesiástico sabendo a importância que tem para a comunicação da fé. “Isto deve fazer pensar a Igreja de França”, acrescenta.

No entanto, a sua missão não se realiza apenas no interior do templo. É uma personalidade conhecida em todo o bairro, também pelos muçulmanos. Toma o café da manhã nos cafés do bairro, aí conversa e com os fiéis e com pessoas que não praticam. Ele chama a isso a sua pequena capela. Assim conseguiu já que muitos vizinhos sejam agora assíduos da paróquia, e tenham convertido esta igreja de São Vicente de Paula numa paróquia totalmente ressuscitada.

Uma vida peculiar: cantor em cabarés A vida do padre Michel Marie foi agitada. Nasceu em 1959 e tem origem russa, italiana e da Córsega. Aos 13 anos perdeu a mãe, o que lhe causou uma “fractura devastadora” que o levou a unir-se ainda mais a Nossa Senhora.

Com um grande talento musical, apagou a perda da mãe com a música. Em 1977 depois de ter sido convidado a tocar no café Paris, de Montecarlo, mudou-se para a capital onde começou a sua carreira de compositor e cantor em cabarés. No entanto, o apelo de Deus foi mais forte e em 1988 entrou na ordem dominicana por devoção a S. Domingos. Esteve com eles quatro anos, e perante o fascínio por S. Maximiliano Kolbe passou pela ordem franciscana, onde permaneceu quatro anos.

Foi em 1999 quando foi ordenado sacerdote para a diocese de Marselha com quase quarenta anos. Além da música, que agora dedica a Deus, também é escritor de êxito, tendo publicado já seis livros, e ainda poeta.

Fonte: Site Comunidade Corpus Christi

O milagre por intercessão de Bento XVI: jovem se cura do câncer e agora quer ser sacerdote.

Peter

 

 

 

 

 

O milagre por intercessão de Bento XVI: jovem se cura do câncer e agora quer ser sacerdote

Um canal de televisão americano deu a conhecer a história de Peter Srsich, um jovem americano que com apenas 17 anos foi diagnosticado com um câncer agressivo que o levou a tratamentos em hospitais especializados (como o Children´s Hospital Colorado): «Uma radiografia do tórax revelou um tumor do tamanho de uma bola de softbol em seu peito», disse Laura Srsich, mãe de Peter. Tratava-se da quarta etapa do linfoma não Hodgkin.

Consciente da própria situação, Peter expressou o desejo de encontrar o Papa Bento XVI, então começaram a lutar até que a fundação Make-a-Wish acolheu o pedido e começaram a fazer os contatos. Em 30 de maio de 2012, menos de um ano antes de sua renúncia ao Papado, Bento XVI recebeu e saudou pessoalmente a Peter Srsich em audiência geral no Vaticano.

Peter entregou uma pulseira verde ao Papa com um pedido impresso: ‘reze por mim’.
«Quando me levantei para falar com ele, me chamou a atenção quanto humano ele era», refere Peter. E acrescenta: «Foi uma grande experiência ver quanto humilde que é o Papa».
E Bento XVI escutou Peter quando este lhe falava de seu câncer e lhe pedia orações de um modo muito «curioso»: presenteando-o com uma pulseira de cor verde que estava impressa uma gravação: «rezar por Peter».

 

Depois de lhe dar a pulseira, o Papa o abençoou, «pôs sua mão direita no peito onde estava o tumor. Ele não sabia onde estava o tumor, mas ele pôs sua mão direita ali», confessa Peter. Os seus pais não tem dúvida: Peter se curou por intercessão do Papa emérito Bento XVI.

Um ano depois Peter estava curado do câncer. Atualmente estuda na Universidade de Regis, em Denver, e, como mostra o vídeo de KSDK TV, quer ser sacerdote. O encontro com o Papa da humildade e da razão lhe fez ver que possivelmente Deus está lhe chamando.

Jorge Enrique Mujica, LC, jem@arcol.org, é autor, editor e responsável pelo Blog Análisis y actualidad, alojado no espaço da web de http:// www.religionenlibertad.com