Tag Archives: Moral

Aborto em caso de estupro?

Introdução:
58Somos sempre indagados por pessoas que são favoráveis ao aborto, e várias argumentações  parecem fazer sentido, e muitas vezes relativizamos nossas concepções por acharmos que o caminho para a moralidade é severa demais para com as mulheres que pensam em abortar, principalmente no caso de estupro. Vamos analisar os argumentos e colocar o contraponto.
Trauma:
60Segundo este ponto de vista, a mulher teria um trauma real e vivo se ela levasse esta gravidez adiante. Este argumento tem partes verdadeiras, vamos refletir este ponto. É verdade que a mulher poderá ter um trauma decorrente do convívio com a criança fruto do estupro, porém, matá-lo não traria traumas ainda maiores? Creio que sim, e com base no filme “Blood Money”, em que é recolhido testemunhos de várias mulheres que abortaram, em todas as situações, e todas hoje sofrem um peso enorme que provavelmente nunca mais será retirado de suas costas, o peso do sangue derramado pela única mulher neste mundo encarregada de defender a vida que dentro dela surgia e ela a matou. Não estou dizendo o que deva fazer, mas estou afirmando que matar não pode ser uma escolha, existem outros caminhos, se acha que não conseguirá cuidar, existem orfanatos, e os números de casais para adotar bebês é maior que o número de crianças para serem adotadas, segundo o Cadastro Nacional de Adoção existem por volta de 5.500 crianças em condições de serem adotadas e mais de 30 mil famílias  em espera para adoção (senado.gov.br) então não tire de uma criança o direito mais importante, e íntimo de um ser humano, a vida. Se você não cuidará, existe uma família no qual ela terá amor, repeito e dignidade.
Juízo:
59O maior erro de um Estado, quanto ao aborto, é aceitá-lo nas condições pré estabelecidas de um estupro. Vários países aceitam e financiam o aborto em caso de estupro, e não sabem (ou fingem que não sabem) a gafe jurídica e moral que cometem, o aborto é uma morte e ponto final, ninguém em sã consciência nega isso, quando a fecundação é feita, ali já existem 46 cromossomos, ali já existe por tanto, um ser humano, ali já existe vida, mas digo isso porque, ao abortar essa criança que nada teve a ver com o estupro, ele que não pediu para ser concebido e muito menos para existir, acaba por sofrer as sanções da lei no lugar do estuprador. Qual é a lógica desta lei? Desculpa, mas se formos eliminar cada pessoa da sociedade que tem o potencial de ser um trauma na vida de alguém, poucos sobrarão , se aceitarmos como plausível que a criança seja abortada em caso de estupro, teremos então que rasgar todos os nossos conceitos de justiça, bem e mal, certo e errado e redefinir estes termos, pois isso é claramente uma inversão de culpa, o bebê então sofrerá sanções de uma lei de uma sociedade da qual ele nem se quer foi inserido ainda, ele será penalizado pelo ato de seu pai? Enquanto o estuprador ficará alguns anos na cadeia sustentado por nossos impostos, a criança sofrerá a pena de morte? Isto é o cúmulo de um judiciário sem valores. É isto que resume justiça social para vocês?
Conclusão:
O Aborto não é justificável em caso de estupro, muitos devem pensar: “é fácil falar, você é homem” ou “você não sofreu com isso.” Não estou usando de sentimentalismo, estou usando de razão, uma criança não pode ser morta por um ato de um ser humano devasso e criminoso, o estupro é o pior de todos os crimes de uma sociedade em minha opinião, fica acima do holocausto, causa uma comoção e uma fúria em massa quando se houve uma noticia deste tipo, mas a quem jogaremos a culpa, no estuprador ou na consequência deste ato? Uma criança não escolhe a condição a qual virá ao mundo, nem seus pais, porém em todos os casos é a obrigação dos pais e principalmente da mãe a proteção desta criança, uma vida não pode ser ceifada por erros do qual o penalizado não teve participação!

Dedico o artigo a meu amigo Guilherme Ferreira e sua Irmã Fernanda Ferreira que me inspiraram a escrever sobre o tema tão polêmico.

Autor: Pedro Henrique Alves

Revisora: Brenda Lorene

Para citar: ALVES, Pedro Henrique, Aborto em caso de estupro? acesso em: https://proecclesiacatholica.wordpress.com/2014/03/16/aborto-em-caso-de-estupro/

Anúncios